• .@gleisi apresenta propostas à lideranças católicas em Maringá >> http://t.co/LcPPctc4Q5 #Gleisi13 #OlhandoPraFrente
  • Mais uma rebelião em menos de 20 dias. Situação é preocupante
  • Nota da candidata @gleisi sobre motim na carceragem de Guarapuava >> http://t.co/rpxFklPNFg #OlhandoPraFrente #Gleisi13
  • Incompetência e promessas não cumpridas aumentaram crise na segurança pública
  • .@gleisi reforça compromisso com a valorização da PM >> http://t.co/ZzB9ZFaUsj #ParanáOlhandoPraFrente #Gleisi13

HISTÓRICO

Trajetória da Estrela

A estrela brilhou oficialmente no Brasil, em fevereiro de 1980, data da fundação do Partido dos Trabalhadores. A época era de intensa mobilização social. A população saía às ruas pedindo por liberdade democrática. Já havia estourado a onda de greves pelo país. Os trabalhadores sabiam que até para obter melhorias salariais era preciso enfrentar a ditadura.

Começava a pintar no Brasil as novas cores da – lenta e gradual – abertura. As pressões populares empurravam o Brasil para longe da ditadura militar, que dava seus últimos suspiros. O Brasil começava a subir os degraus dos porões. Então, o governo tentou mais um golpe, em desesperada tentativa de não perder o comando político. Em dezembro de 1979, o regime anunciou as regras da reforma partidária. Uma tentativa de desagregar as forças oposicionistas.

Mas, o governo – no excesso de confiança em suas negociatas – foi surpreendido com o nascimento de um partido originado no cerne dos autênticos desejos populares. O PT, de forma independente, nasceu da soma de vários setores sociais. A voz da liberdade política estava falando ao povo brasileiro. Sindicalistas membros da Igreja Progressista, lideranças democráticas e populares, marxistas independentes, artistas, intelectuais, e outros sobreviventes do regime militar participaram na construção do novo partido: PT o Partido dos Trabalhadores.

Em 13 de outubro de 1979, o movimento pró-fundação do PT aprovou uma declaração política. Em 10 de fevereiro de 1980, a Comissão Provisória Nacional, em São Paulo, aprovou o Manifesto do Partido dos Trabalhadores. Em 31 de maio e 1º de junho de 1980 o PT aprovou o seu estatuto.

Uma estrela de origem simples e forjada na luta e nos anseios populares. Uma estrela que brilha com as cores da justiça social e da esperança. Uma estrela com uma trajetória de perdas e conquistas. De muito aprendizado.

No Paraná

O PT nasceu como resultado da mesma articulação iniciada por lideranças sindicais combativas em todo o Brasil. O objetivo era construir um autêntico partido de trabalhadores. O PT desenvolveu no Paraná as mesmas lutas e campanhas encaminhadas pelo partido em âmbito nacional: a batalha para se legalizar, em 1981; a primeira eleição, em 1982; o movimento pelas Diretas Já, em 1984; o repúdio ao Colégio Eleitoral, em 1985; a oposição ao Plano Cruzado, em 1986; a histórica campanha Lula Presidente, em 1989; a vitória de Lula em 2002 e a reeleição em 2006, e tantos outros momentos importantes.

Em sua composição social o PT do Paraná se assemelhou ao nacional. Absorveu desde o início militantes do movimento popular (particularmente da luta pela moradia, histórica na Região Sul de Curitiba), sindicalistas (começando pelo Sindicato da Construção Civil de Curitiba e pelo Sindicato dos Bancários de Londrina, e na seqüência o Sindicato dos Petroleiros, além de inúmeras oposições), militantes de organizações de esquerda então ainda existentes (MEP, PCBR, OSI, Convergência Socialista, DS), bem como ex-militantes de organizações como a AP, a ALN, o MR-8. Um grande contingente de militantes oriundos das Comunidades Eclesiais de Base-CEBs veio engrossar o PT, que também recebeu a adesão de intelectuais de esquerda de diversos matizes. E, mais tarde, dos trabalhadores rurais, tanto pequenos proprietários como os sem-terra. Foram os ingredientes de um rico caldo que continua no fogo.

No início doas anos 80, os primeiros dirigentes do PT lançaram-se à tarefa de construir Comissões Municipais Provisórias e de fazer as filiações necessárias para a legalização do partido. No primeiro Encontro Estadual, em 1981, o PT contava com 30 Diretórios Municipais - cerca de 10% do número de municípios existentes - mas em todas as principais cidades o partido estava construído. Em 1982, o PT enfrentou sua primeira eleição.

O partido chega em 2008, como o maior do Paraná. Está presente em 98% dos municípios.

Presidentes estaduais

O PT do Paraná teve até agora os seguintes presidentes estaduais:
1981-1986- Manoel Izaías de Santana (falecido em 1996)
1986-1989 - Gil Carvalho
1989-1990- Claus Germer
1990-1992- Pedro Tonelli
1992-1995- José Wigineski (Zecão)
1995-1997- Jorge Samek
1997-1998- Pedro Tonelli
1998-1999- Roberto Salomão
1999-2000- Nedson Micheletti
2000-2001- Márcio Pessatti
2001-2005- André Vargas
2005-2007- André Vargas
2007-2010- Gleisi Hoffmann
2010- Enio Verri
 
 
 
Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciado sob CC-Attribution 3.0 Brazil.
Exceto especificado em contrário e conteúdos replicados.
Alameda Princesa Izabel, 160, São Francisco, Curitiba. Cep. 80410-110.
Telefone: (41) 2103-1313. E-mail: imprensa@pt-pr.org.br